ERROS QUE PODEM ESTAR ROUBANDO O DINHEIRO DE SUA EMPRESA

O processo de fazer sua empresa ser bem sucedida quase sempre não é simples e, muitas vezes, você precisará aprender com os erros. Porém, alguns erros são mais comuns e possuem maneiras simples de evita-los.


Misturar as contas da empresa com sua conta pessoal

Este é um dos mais comuns – e mais perigosos – erros que podem bagunçar o controle de contas de uma empresa! Ao misturar as contas pessoais com os gastos da empresa, chega uma hora que é impossível analisá-los separadamente, quanto mais fazer um controle preciso das contas do estabelecimento.

Outro problema que esse descontrole traz, é a possibilidade do gestor fazer um grande investimento na sua vida pessoal, em uma hora que a empresa não está em um bom momento financeiro, sacrificando o capital de giro e colocando seu negócio em uma posição de alto risco. Quanto mais separadas forem as duas coisas, melhor será o controle financeiro da empresa!

Não manter um capital de giro

Várias companhias entram em desespero todo mês, quando a fatura do cartão de crédito está prestes a vencer! Isso acontece porque, entre outros fatores, muitas empresas não mantém um capital de giro que seja o suficiente para custear todos os gastos, até que o ciclo do lucro seja concluído com o pagamento dos clientes.

O que muitos gestores não entendem, é que economizar essa reserva ajuda a empresa a controlar seu caixa e aumentar – e muito – sua lucratividade!

Se a companhia não mantiver um capital de giro, ela corre risco de atrasar pagamentos dos fornecedores e ter que pagar altas taxas de juros, o que por si só já acaba com a margem de lucro de qualquer negócio!

Pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito

Muitas empresas compram de seus fornecedores através do cartão de crédito. Apesar de ser uma opção segura e cômoda, o uso desse crédito rotativo requer uma grande organização financeira para que a empresa não perca toda sua margem de lucro pagando juros para o banco.

O grande problema ocorre quando apenas o ‘valor mínimo’ do cartão é pago: atualmente, esse valor está em 15% da fatura total. Se somente esse valor for pago, no próximo mês, a empresa terá de pagar a fatura mensal do cartão, mais os 85% da última fatura, acrescido de juros! Nesse ritmo, a dívida tende a virar uma bola de neve!

Se o pagamento tiver que ser atrasado, muitas vezes é mais vantajoso tomar um empréstimo no próprio banco, mas com uma taxa de juros mais em conta e perder menos dinheiro.



Não fazer um fluxo de caixa

Não tem como administrar uma empresa totalmente ‘no escuro’! Ter um controle de Fluxo de Caixa é essencial para um planejamento financeiro sólido para seu negócio. Comparando os recebimentos com suas despesas ao longo do tempo, pode-se detectar problemas antes que eles se tornem maiores e mais difíceis de serem resolvidos!

Além disso, o Fluxo de Caixa pode te ajudar a:

  • selecionar qual será a ação mais efetiva para combater determinado problema;

  • saber informações precisas sobre seus recebimentos e despesas do mês;

  • comparar se os recebimentos serão suficientes para pagar as contas e ter lucro;

  • indicar necessidade no aporte do capital de giro, entre outras

Não buscar novas oportunidades

Uma empresa de sucesso tem que estar sempre aberta a novas oportunidades e novas tecnologias para aumentar sua participação no mercado! Hoje, há vários mercados em crescimento para serem alcançados e satisfeitos. Entre eles, o comércio virtual, que tem um custo relativamente barato e atrai cada vez mais consumidores! Além disso, é fundamental que sua empresa ofereça qualidade nos serviços para manter-se competitiva nos mercados já alcançados e manter sua clientela. Lembre-se: Tenha sempre uma novidade e uma boa ideia na cabeça!



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A incerteza é como o clima. Está sempre lá, faz parte da atmosfera e é uma condição sobre a qual indivíduos e organizações têm muito pouco controle. A gravidade da incerteza, como a gravidade do clima

O que quer que você vá fazer, faça bem feito. Parece óbvio. Mas decidir com precisão o que fazer – ou se deve continuar fazendo – muitas vezes é difícil para os líderes que procuram distinguir suas em

Se 2020 foi sobre crises – a pandemia e a indignação após o assassinato de George Floyd, para citar dois – e a resiliência e a capacidade das empresas de navegar pela disrupção, 2021 parece que foi o